quinta-feira, 4 de julho de 2019
Desembargador João Rebouças, presidente do Tribunal de Justiça do RN
“Enquanto o homem existir, sempre haverá a necessidade de se ter a prevalência da Justiça”. Foi com esta mensagem que o desembargador João Rebouças, presidente do Tribunal de Justiça do RN, encerrou seu discurso sobre os 127 anos de criação do TJRN, em sessão solene realizada na tarde de quarta-feira, 3, no Pleno do Tribunal de Justiça, com a presença dos desembargadores da Corte, magistrados, servidores e autoridades convidadas. “Não é minha intenção e, por isso, não vou preconizar aqui a utopia de acreditar que seja possível viver em uma sociedade sem conflitos sociais, sem a prática de infrações legais. Tudo isso precisa ser combatido com rapidez e eficácia, mas, infelizmente, não creio que a sua extinção seja possível enquanto o homem, por ser humano, for susceptível a falhas. Por essa razão, gosto de afirmar e repetir que as instituições precisam ser fortes, sólidas e sedimentadas, pois os homens são frágeis”, destacou o presidente. João Rebouças assinalou que o Tribunal de Justiça completa 127 anos, contudo sem perder a esperança. “Esperança de fazer valer sonho, o desejo de todos nós que é o de uma sociedade mais justa, menos desigual. Esperança de ver o bem e o justo sempre prevalecerem”.

Top

Usuarios Online