quarta-feira, 3 de julho de 2019
Salinas em Areia Branca
O Sindicato da Indústria da Extração do Sal no RN (SIESAL-RN) vem evidenciar, por meio de nota de esclarecimento, que “a desocupação das áreas onde encontram-se instaladas e consolidadas as salinas, há mais de um século, seria medida sem qualquer fundamento real e causaria graves danos econômicos e sociais para o Estado do Rio Grande do Norte e para o Brasil”. Em nota, o SIESAL-RN explica que em audiência de conciliação, realizada em fevereiro deste ano, com a participação de todas as partes envolvidas, inclusive os órgãos técnicos ambientais de fiscalização, deixou claro que o risco ao meio ambiente, alegado pelo Ministério Público Federal, não tinha sustentação e que os pedidos de liminares do MPF para remanejamento das pilhas de sal foram rejeitados. “Tais decisões – é importante que se destaque -, embora ainda aguardem decisão colegiada do Tribunal Regional, foram mantidas pelos Desembargadores relatores na imensa maioria dos recursos apresentados pelo MPF”, diz o texto. Clique e confira a nota na íntegra: Nota a Imprensa

Top

Usuarios Online