quarta-feira, 11 de novembro de 2020


A descoberta de documentos que mostram a possibilidade de fraude em concurso público realizado no inicio de 2012, pela Prefeitura de Grossos, pode ter reflexos direto na disputa pela prefeitura, isso porque Cinthia Sonale, candidata do PSDB, que fez o concurso, e, apesar de não ter sido classificada dentro do número de vagas para o cargo que concorreu, foi nomeada e chamada para trabalhar pelo ex-prefeito, Veronilde Caetano, foi mantida no cargo pelo atual prefeito José Maurício Filho, o Mauricinho (MDB), mesmo depois do caso ser julgado e a servidora ter sido obrigada a deixar o cargo. Em janeiro de 2013, quando assumiu, Mauricinho exonerou Cinthia, oportunidade em que esta moveu ação na Justiça para ser reconvocada (Processo nº 0100310-80.2013.8.20.0113), e uma liminar garantiu a contratação, o que aconteceu em 19 de janeiro de 2013. A ação seguiu para julgamento do mérito e o juiz Marcus Vinicius Pereira Júnior proferiu sentença desfavorável a Cinthia Sonale, alegando exatamente que ela não tinha direito a ser convocada, nomeada e tomar posse, uma vez que não estava dentro do número de vagas oferecidas pelo concurso realizado pela prefeitura. A sentença é de 1º de novembro de 2017. Cinthia não recorreu e o processo transitou em julgado no dia 28 de março de 2018, quando foi definitivamente arquivado. Mesmo com a sentença, o prefeito Mauricinho, que havia exonerado, decidiu efetivar Cinthia como funcionária, no cargo de administradora, recebendo salários de R$ 1.097,00 (hum mil e noventa e sete reais), de acordo com o contracheque e folha de pagamento de outubro de 2020, extraído do Portal de Transparência no site da prefeitura. Em três anos de salários Cinthia recebeu quase 40 mil reais indevidamente. Além de suposta fraude na nomeação, existe ainda o agravante de que o gabarito do concurso (confira abaixo), teria sido alterado. A reportagem teve acesso a um documento que mostra rasura no gabarito com respostas duplas. Www.costabrancanews.com



.

Top

Usuarios Online