terça-feira, 10 de agosto de 2021

O gestor realmente comprometido com o seu mandato, preocupado em manter a cidade organizada e limpa, o que se traduz em benefícios para a população, sofre. Isso porque enquanto trabalha para o bem-estar da coletividade, há uma parcela que torce para tudo dar errado. É a turma do “quanto pior, melhor”. Esses, em vez de contribuir para o desenvolvimento do município, ajudam a destruir o que está sendo feito.Mais uma prova disso foi constatada na manhã desta segunda-feira, 9, na praia de Upanema. O calçadão e outros locais da orla marítima amanheceram repletos de lixo descartado de forma irregular pelos frequentadores da praia. Preocupante. Não apenas pela falta de educação e agressão ao meio ambiente, mas principalmente pelo fato de Areia Branca ainda estar mobilizada no combate à pandemia do coronavírus. Desde que as fases de flexibilização avançaram no município, o que se tem visto nos finais de semana são praias cheias, aglomerações e cada vez mais pessoas negligenciando os protocolos de saúde. Uma boa parte da população parece agir como se o vírus não fosse mais ameaça. A realidade, porém, é outra. Mesmo com o avanço da vacinação contra a Covid-19, os casos confirmados da doença ainda são significativos na região, no Estado e no país. Novas variantes do coronavírus rondam o mundo. Um cenário, que segundo os especialistas, tende a piorar e as precauções, portanto, não podem ser minimizadas.

Sobre a situação da praia de Upanema nesta segunda-feira, a Prefeitura de Areia Branca informa que a equipe de serviços urbanos iniciou muito cedo a limpeza do local, no entanto, é necessário a conscientização sobre o cuidado com o meio ambiente e com o espaço público.A prefeitura mais uma vez pede a colaboração das pessoas que frequentam a praia. “Leve uma sacola descartável para armazenar o lixo. Na volta para casa, coloque numa lixeira pública. Caso não encontre uma perto, mantenha o material com você até que chegar a um local apropriado para o descarte correto do lixo. É responsabilidade de quem leva, cuidar dos dejetos”, orienta. “Não se joga lixo no chão. Lugar de lixo, é no lixo. Garrafas de vidro podem quebrar e causar acidentes. Resíduos plásticos levam mais de 400 anos para se decompor na natureza. O plástico quando não descartado de forma certa fica na rua, entope bueiros, vai para o rio ou mar provocando acidentes com os animais marinhos”, alerta o Executivo municipal.


.

Top

Usuarios Online